Maiúsculas e minúsculas: quando usar?

Maiúsculas e minúsculas: quando usar? Parece uma pergunta simples. E é. A resposta é que pode ser um pouco mais complexa do que parece. Há regras que alteraram com o Novo Acordo ortográfico, outras que são facultativas, outras que soam mais elegantes, outras que não alteram, mas que causam dúvida na hora escrever. O primeiro passo é definir se o texto será escrito tendo em conta o Novo Acordo ou não. O segundo passo é, dentro da opção escolhida, saber as regras a aplicar, e há muitos aspectos e ter em conta. Neste artigo, esclareço-te quando deves usar palavras a começar com letra maiúscula ou minúscula. Será que hoje há lua cheia ou Lua Cheia? No Verão, adoro ir à praia. Ou será no verão? É o que vou explicar.  

Sol, sol, Lua e lua

As palavras «Sol» e «Lua» podem ser escritas com inicial maiúscula ou minúscula, conforme a intenção e o contexto em que são usadas.  
Quando nos referimos ao Sol que brilha no céu, devemos escrever com inicial maiúscula. No entanto, se nos referirmos ao sol como luz do dia, devemos escrever com inicial minúscula. Por exemplo, no pôr-do-sol, dizemos que o Sol se põe. Assim, como já não há sol, acendem-se as luzes dos candeeiros de rua. 
No caso da Lua, é mais simples. Escreve-se sempre com inicial maiúscula, excepto se estivermos a caracterizar as fases da lua: lua cheia ou lua nova. Por coerência, escreve-se quarto crescente e quarto minguante com iniciais minúsculas também. Por exemplo, devemos escrever que a Lua se vê no céu à noite, mas não na fase de lua nova. 

Povo e etnias 

No caso destas duas categorias, as regras são semelhantes.   
Num texto, quando o Povo de que falamos é o português, Povo deve vir com inicial maiúscula para ser distinguido dos restantes (ou se quisermos simplesmente enfatizar). Por exemplo, o Povo (Português) gosta de fado. Mesmo que não estejamos a falar de alguém de alguma região específica de Portugal, podemos escrever com inicial maiúscula por se tratar de algo da nossa cultura, que nos define como Povo. Por exemplo, os Açorianos têm manteigas muito boas. Já os espanhóis que visitaram o Convento de Cristo adoraram Tomar e a Maria acha a pronúncia dos italianos sonora e cantante. A mesma regra se pode aplicar à palavra «País». Num texto que se fale de vários países, deve referir-se o país onde decorre a ação como País, para distinguir de outras referências a outros países. 
Mas, atenção! Há situações que podem levar ao engano no uso da inicial maiúscula. Por exemplo, os portugueses que bebem cerveja têm tendência a ter mais volume abdominal. Neste caso, é com inicial minúscula por estamos a especificar algumas pessoas do Povo português e não a falar do Povo como um todo. Sim, há quem tenha boa genética e possa beber cerveja sem ficar pançudo… 
No caso das etnias, generalizando, é com inicial maiúscula. Nesta categoria, não se incluem religiões, grupos políticos e correntes estéticas. Assim, dizemos que os Ciganos vendem roupa na feira, que os católicos vão à igreja, que para os budistas não há Deus, que o surrealismo é um movimento artístico originário em Paris, que associamos a cor vermelha aos comunistas. 

Homem, homem e humanidade 

Homem com «H» maiúsculo significa que nos referimos aos humanos em geral, mas homem com «h» minúsculo significa que nos referimos a alguém do sexo masculino. Embora humanidade se refira ao conjunto de todas as pessoas, assim como Homem, deve ser escrita com inicial minúscula pois não é necessário distinguir, pelo que podemos ter esperança na humanidade, dizer que 1969 foi o ano em que o Homem chegou à Lua e alguns homens são distraídos.   

Disciplinas e cursos 

Quando nos referimos a uma disciplina, devemos fazê-lo com inicial maiúscula. Por exemplo, o Rodrigo gosta de ler artigos em japonês, mas teve melhor nota a Francês, ou a minha melhor amiga escolheu a especialidade ortopedia e trabalha no serviço de Ortopedia de um hospital no Grande Porto.  
Em relação a nomes de cursos, com o Novo Acordo, é facultativo escrever com inicial maiúscula ou minúscula, pelo que posso escrever que estudei Engenharia ou engenharia.

Região e indicação de direcção 

Antes do Novo Acordo, os pontos cardeais eram escritos com inicial maiúsculaDepois do Novo Acordo, passou a escrever-se com inicial minúscula. Por isso, dantes, escrevia-se que a Sul de Portugal fica África e depois passou a escrever-se que a sul de Portugal fica África.
Mesmo depois do Novo Acordo, quando falamos no Norte de Portugal como uma região, devemos fazê-lo com inicial maiúscula. Por exemplo, no Norte de Portugal come-se muito bem. Já a norte de Portugal, fica Espanha. O melhor mesmo é visitares o País de norte a sul, pois no Sul há sempre peixe fresco, mas se fores mais para sul chegas a África. 

Deus, deus, Diabo, diabo, Céu e céu 

Quando nos referimos a Deus e ao Diabo, ainda que não usando o nome directamente, devemos sempre fazê-lo com inicial maiúscula. Por exemplo, «aquele que O enviou salvou-me», «ouve o que Ele te diz» ou fugir como o Diabo da Cruz. Neste último caso, a Cruz de que falamos é a Cruz de Cristo, por isso, deve ser escrita com inicial maiúscula também. Se quisermos dizer que alguém é ruim, dizemos que é pior do que o Diabo, mas se a intenção for dizer que a pessoa é um caso perdido, devemos escrever que é um pobre diabo. Assim como quando nos referimos a alguém que admiramos dizemos que é como um deus, e não que é Deus. Assim, quando falamos dos deuses gregos, usamos inicial minúscula. No entanto, se estivermos a falar de algum daqueles deuses em particular, usamos iniciais maiúsculas. Como por exemplo, Diana é a Deusa da Caça, uma dos muitos deuses romanos.
A mesma lógica se aplica à palavra «Céu». Quando nos referimos ao céu das nuvens, do Sol e da Lua, devemos usar inicial minúscula. No entanto, se for Céu no sentido de ser onde está Deus, deverá ser com inicial maiúscula. Por exemplo, «Oh, Deus do Céu, hoje, o céu está mesmo bonito». 

Inferno, inferno, Paraíso e paraíso 

Quando nos referimos ao Paraíso e ao Inferno com significado religioso, literal ou por comparação, devemos usar iniciais maiúsculas. Senão, usar iniciais minúsculas. Por exemplo, podemos dizer que o nosso País é um paraíso e que quando comemos um pastel de nata sentimos que estamos a chegar ao Paraíso. Quando estamos parados no trânsito, sentimos que estamos a viver um autêntico inferno e nos dias de muito calor, quando saímos à rua, dizemos que parece que estamos no Inferno.   

Acidentes geográficos 

A parte da expressão relativa ao acidente geográfico deve ser escrita com inicial minúscula e o nome com inicial maiúscula. Por exemplo, serra da Estrela, rio Douro, oceano Atlântico, praia do Guincho, cabo Espichel. Contudo, há casos em que é preciso avaliar. Se estivermos a falar de Cabo Verde, por exemplo, ambas começam com iniciais maiúsculas pois é o nome do país e não um acidente geográfico que se chama Verde.  

Cargos 

Quando nos referimos a cargos políticos, profissionais, etc., devemos escrever com inicial minúscula. Por exemplo, ministro da cultura ou primeiro-ministro, com excepção para o Presidente da Républica e para o Pápa.   

Instituição 

Sempre que nos referimos a alguma instituição, seja de que área for, a própria definição da mesma, além do nome, deve ser com inicial maiúscula. Por exemplo, Hospital de São João, Centro Comercial Colombo, Igreja de Santo António dos Portugueses, Ginásio Clube Português. Mas, se dissermos que vamos à igreja ou ao ginásio, sem especificar qual, usamos iniciais minúsculas. No caso de expressão «Assembleia Geral» como conjunto de pessoas é com iniciais maiúsculas, mas como reunião é com iniciais minúsculas. Assim, escreve-se que a Assembleia Geral decidiu a favor e que a assembleia geral correu bem.   

Dias da semana, meses, estações do ano 

Antes do Novo Acordo, iniciais maiúsculas, depois do Novo Acordo, iniciais minúsculas. Por exemplo, sem acordo, escrevemos que esta Segunda-feira parece Verão ou, com acordo, esta segunda-feira parece verão.
Dias específicos como Sexta-feira Santa mantêm as iniciais maiúsculas. 

Prosónimos 

Os prosónimos são nomes ou expressões alternativas que designam algo, alguém, um lugar, sem termos de dizer o nome explícito e devem ser escritas com sempre com iniciais maiúsculas. Por exemplo, o Pantera Negra, Terras de Suas Majestade, País do Sol Nascente, Aquele Cujo Nome Não Deve Ser Pronunciado, a Dama de Ferro, entre muitos outros. 

Espero ter-te ajudado a perceber em que situações deves escrever com iniciais maiúsculas ou minúsculas. Se há algum exemplo que não esteja aqui e devia estar, ou se tens alguma dúvida, envia-me uma mensagem de correio electrónico para lugarincomum.pt@gmail.com ou através das redes sociais. 📬✍😉

PARTILHA ESTA PUBLICAÇÃO!

Deixa um comentário!

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

NEWSLETTER

Notícias incomuns

Por aqui, irei partilhar, em primeira mão, ou, em alguns casos, talvez em única mão, as novidades do Lugar Incomum: últimos trabalhos, artigos partilhados no blogue, esclarecimentos ou reflexões sobre assuntos relacionadas com a língua portuguesa e com os livros, e, quem sabe, alguma partilha inesperada.